Instrumentação Industrial – 8 dicas para emplacar seu próximo projeto

Marcel de Roure
Por Marcel de Roure CEO e Engenheiro Chefe na Lince | Automação e Controle Publicado em Atualizado em
Vimemos em uma atmosfera competitiva e em constante mudança no setor industrial.

Não é segredo para ninguém que as empresas precisam entregar seus produtos e serviços cada vez mais de forma prática e eficiente.

Para muitas indústrias isso começa com o investimento na Instrumentação Industrial.

Os engenheiros de hoje podem tirar proveito de tecnologias que vão desde componentes inteligentes, até a conectividade com pacotes de análise, capazes de tirar conclusões sobre os dados que o hardware coleta.

Não há dúvida dos benefícios, você sabe. Porém, quando combinamos tais melhorias a um sistema de implementação de projetos eficaz, o resultado é uma operação que não apenas fabrica itens e executa processos, mas que também confere uma vantagem competitiva.

Sair na frente dos concorrentes é tudo o que uma empresa precisa.

Por esta razão, apresentamos alguns passos básicos a serem considerados antes de avançar em seu projeto de instrumentação industrial.

Acredite. Cada ponto vai ajudar você a tomar a decisão certa sobre a instrumentação de toda a industria que você trabalha ou mesmo em parte, direcionando seu projeto para um processo específico.

Vamos lá!

1) Visualize o sucesso

Tente visualizar como seria o cenário caso a iniciativa fosse um sucesso impressionante.

Tome nota de como isso afetará todas as pessoas envolvidas e anote quaisquer outros que você ache que podem impactar.

De posse disso, consiga o apoio interno para alavancar sua ideia.

2) A definição é crítica

Sem fazer um verdadeiro trabalho de Engenharia, utilizando efetivamente tudo o que você aprendeu na escola e em sua carreira até este ponto, você muito provavelmente não será bem sucedido.

Por isso ressaltamos que, ao criar a definição para o projeto, logo em seguida, verifique se isso realmente irá mesmo atender às suas necessidades de operação e produção.

Você está no caminho para o gerenciamento de projetos eficaz.

É apenas o começo, mas sem um ponto de partida bem definido, é difícil concluir (ou defender) sua ideia.

3) Definir regras para comunicação

Definir quais os fluxos de comunicação é umas das primeiras atitudes que você deve tomar ao formalizar o seu projeto.

Detalhe tudo o que deve ser comunicado, como ele deve ser comunicado, quais serão seus marcos (pontos de referência) e com que frequência as coisas devem ser reportadas, e de qual forma.

A maioria de nós ouviu ao longo de toda a sua carreira sobre como a comunicação é um fator crítico de sucesso, mas são poucos, os que de fato implementam sistemas que permitam que isso ocorra.

Cuide da sua comunicação e você será ouvido.

4) Fale com todos

Entreviste as partes interessadas de várias disciplinas, tais como operações, manutenção, controle de qualidade, cadeia de suprimentos, segurança do trabalho, transporte e gerenciamento. Eles sempre têm uma participação importantíssima em cada projeto de instrumentação.

Saber o que cada setor necessita e saber atender a essa demanda, faz toda a diferença.

Se coloque na posição deles, entenda o lado deles e fale a língua de cada um.

Se o comitê de aprovação do seu projeto está de olho nas finanças, busque argumentos que ressaltem o valor financeiro do seu projeto de instrumentação industrial.

5) Não faça suposições

Não assuma nada. Não faça suposições sobre as regras básicas a serem seguidas. Não invente.

Colha as informações necessárias e estabeleça tudo com antecedência.

Por fim, defina quem é responsável por fazer o quê em cada setor. Cada um deve ter sua atribuição bem definida para posteriormente não resultar em conflitos.

A partir dos dados que você pesquisou ficará mais fácil entender no que cada colega e profissional ao seu lado pode fazer para contribuir com o seu projeto.

Não se esqueça: Tudo o que você estipular deve ter uma fundamentação com objetivos claros e bem específicos.

6) Crie um gráfico para manter os objetivos claros

Defina claramente o desempenho que você espera para cada subsistema e para cada uma das etapas que deve percorrer para alcançar seus objetivos.

Use o Excel para listar as etapas da tarefa e as horas em uma matriz de tempo. Então, isso se torna um calendário para a programação, como uma espécie de MS Project comprimido.

Se você colorir as caixas do gráfico que criou no Excel, torna-se praticamente um gráfico Gantt, ideal para esse tipo de planejamento.

Mas o importante é colocar todos os objetivos (a conclusão de subsistemas funcionais, integração) em um gráfico simples, que você entenda bem e que outras pessoas também.

Assim você vai manter os objetivos estabelecido bem claros para toda a equipe.

7) Reduzir o risco

Quanto maior a incerteza e a falta de detalhes no início do projeto, maior o risco.

Mesmo algo pequeno como um pedaço indefinido de hardware ou fiação podem causar sérios problemas.

Quanto maior a falta de detalhes, mais atrasos e custos excessivos você vai experimentar, ao passo que o cronograma se move em direção à conclusão.

Não se esqueça de incluir o custo do treinamento e as atualizações do seu sistema no orçamento do projeto.

8) Meça o valor a ser entregue

É fundamental definir com antecedência os objetivos da empreitada.

Isso é necessário para ajudar a apoiar o “case”, e não deve ser esquecido após o projeto ter sido concluído, rastreando o retorno e o valor prometido.

Você deve medir os impactos das ações que você está propondo.

Assim será mais fácil para você mostrar as consequências da instrumentação, aprovar suas propostas e, por fim, ir ganhando apoio para os projetos futuros.

MAS O QUE REALMENTE IMPORTA E PORQUÊ?

É essencial compreender as expectativas de cada pessoa antes que um projeto comece.

Existem três questões básicas para este processo de definição:

  • Quais são os objetivos do projeto e de toda a equipe?
  • Que resultados a equipe do projeto deseja alcançar?
  • Como será definida a qualidade, como o tempo / orçamento, o aumento dos volumes de produção, ou o tempo de inatividade, no final do projeto?

Portanto, os tópicos giram em torno de objetivos, resultados e mensuração qualitativa das ações.

A regra básica é: diferentes pessoas terão diferentes expectativas e todos eles têm de ser satisfeitos.

A TECNOLOGIA VEM POR ÚLTIMO

Nunca defina objetivos orientados pela tecnologia. Use a seguinte ordem:

  • Objetivos de negócios. O que o negócio precisa ganhar com este projeto?
  • Objetivos operacionais. Como este projeto impactará as operações – maior eficiência / melhor qualidade / conformidade, etc.?
  • Objetivos de integração. Os dados gerados por este sistema podem ser utilizados por outros sistemas?
  • Objetivos de Pessoas. Desenvolvimento de habilidades, facilidade nas pressões de trabalho.
Somente quando todos estes foram definidos você pode estabelecer os requisitos de tecnologia.

FAÇA DAR CERTO!

O primeiro passo em qualquer projeto de instrumentação industrial é sempre o mais crítico:

Defina sempre os seus objetivos.

Quanto mais detalhada for essa definição, e quanto mais cedo puder ser alcançada, maior será a probabilidade de o projeto ser concluído com sucesso.

Esperamos ter contribuído para a aprovação do seu próximo projeto!

Coloque em prática nossas dicas. Nós entendemos todos os problemas que assolam sua operação.

Para acompanhar de perto cada uma das nossas publicações, cadastre-se na newsletter do Blog e faça parte dessa rede de instrumentistas que cresce a cada dia.

Quer contar com a sua instrumentação com a LINCE no seu processo?

Guia Definitivo de Medição de Nível - Banner

Compartilhe

Cadastre-se para receber conteúdo em primeira mão.