Instrumentação Industrial – Sua indústria precisa sair do atraso

Marcel de Roure
Por Marcel de Roure CEO e Engenheiro Chefe na Lince | Automação e Controle Publicado em Atualizado em
Pode parecer impossível, mas ainda hoje, muitas instalações industriais continuam dependendo de procedimentos manuais e sistemas ineficientes para controlar suas operações.

Uma das razões para as indústrias não investirem na instrumentação das suas instalações é que os responsáveis não entendem os benefícios que pequenas instrumentações proporcionam.

Como este tipo de pensamento, se instalam práticas de trabalho familiares contraproducentes, acreditando que as ineficiências, riscos de segurança e incertezas com que lidam diariamente são a única realidade possível.

Por exemplo, ao falarmos de medição de nível, manusear grandes volumes de sólidos ou líquidos torna-se algo necessário para que as unidades de produção e os operadores de terminais de armazenagem saibam com precisão a quantidade de produto em cada vaso ou tanque.

Quando os produtos mudam de mãos ou são movidos para dentro ou para fora dos tanques, os valores monetários envolvidos e os riscos de segurança podem ser enormes.

Apesar disso, é espantoso enxergar, dia após dia, que tais problemas nas unidades de armazenamento frequentemente recebem atenção insuficiente.

Operações complexas podem e devem ser simplificadas. Simplicidade significa produtividade.

Do procedimento mais simples a mais complexa operação, hoje é possível customizar um instrumento especialmente para a sua necessidade.

Você pode ser o herói da sua operação ao utilizar seus conhecimentos e experiência em processos industrias.

A indústria que você trabalha vai definitivamente sair do atraso e encarar de frente os problemas causados pelo uso equivocado das possibilidades que a instrumentação industrial moderna pode proporcionar nas mais diversas operações.

Mas que problemas são esses?

Os 4 principais problemas enfrentados pela Instrumentação Industrial

  • Sistemas de segurança inadequados
  • Medições imprecisas
  • Softwares complicados
  • Sistemas mecânicos que exigem manutenção

Problema 1: Sistemas de segurança inadequados

Muitas plantas e tanques foram construídos antes que as normas de segurança contra transbordamento, vigentes atualmente, fossem obrigatórias.

A adaptação de tanques/silos antigos aos maiores padrões de segurança neste quesito pode ser atingida através da implementação de chaves de nível com tecnologia RF Admitância no topo do processo.

Infelizmente, no Brasil, poucos usuários cumprem os requisitos da IEC 61508/61511.

A IEC 61508 é um padrão mundial para a segurança operacional envolvendo sistemas elétricos, eletrônicos, dispositivos programáveis para qualquer tipo de indústria. Este padrão cobre todos os sistemas de segurança que têm natureza eletromecânica.

Já a IEC 61511 é voltada as indústrias de processamento contínuo, líquidos e gases. Vale a pena estar atento a esses padrões se você quer alcançar a excelência na sua produção.

Problema 2: Medições imprecisas

Em muitas aplicações de transferência de custódia, a medição de nível é a única base para calcular o quanto de um produto mudou de mãos.

Dado o enorme tamanho de muitos silos de armazenamento, uma diferença de um centímetro ou dois na medição de nível pode ser igual a milhares de quilos/litros de produto.

Portanto, uma discrepância de medição pode causar ao operador uma perda significativa de estoque ou deixar o cliente com um saldo menor. Ou seja, prejuízo.

Transmissores de nível eletrônicos modernos são capazes de uma precisão confiável com uma faixa de erro inferior a 1 milímetro, o que excede em muito os requisitos de performance de qualquer instalação.

Basta encontrar o tipo de medidor e fornecedor mais adequado e ser um herói da sua operação.

Problema 3: Software complicado e falta de suporte local

Para algumas instalações industriais, comprar um novo instrumento de nível é a parte mais fácil do processo.

Porém, conseguir calibrar o instrumento recém adquirido através de softwares complexos em língua estrangeira, regular os parâmetros do fabricante para suas necessidades, e suprimir sinais de eco falso, isso sim são os verdadeiros desafios.

Portanto, trabalhar com uma empresa nacional, capaz de fornecer sistemas simples de operar e calibrar, além de priorizar fornecedores cuja plataforma de serviço lhe dê suporte rápido e contínuo, cria um alto grau de confiabilidade para a operação como um todo.

Problema 4: Sistemas mecânicos requerem manutenção frequente

Algumas indústrias ainda insistem em medidores de nível mecânicos, com muitas partes móveis.

Consequentemente, existem sempre os riscos de desgaste, quebra e mal funcionamento mecânico. Isso pode fazer o seu dia a dia um verdadeiro desastre.

As tecnologias de medição de nível mais recentes, como as eletrônicas com contato, são extremamente simples de instalar e calibrar, além de não possuírem partes móveis.

Trata-se de um tipo de instrumentação com a melhor relação performance/custo entre todas as opções.

Embora não sejam imunes à problemas de corrosão em meios ácidos, dispositivos que mensuram nível através de contato direto com o produto são os mais confiáveis para aplicações complexas onde há presença de espuma, incrustação ou pó em suspensão.

São instrumentos que tendem a ser mais robustos e requererem menos manutenção do que outras opções.

Exemplos de dispositivos de medição de nível nesta categoria são Radares de Onda Guiada, Sistemas com Tecnologia RF Admitância, e Medidores de Nível Por Pressão Diferencial.

Felizmente, sistemas modernos de medição podem solucionar grande parte das situações enfrentadas pelas companhias, resultando em significativas melhorias operacionais e benefícios financeiros a curto, médio e longo prazo.

NÃO INVESTIR É UM BARATO QUE SAI CARO

Estes quatro problemas elencados assombram a indústria brasileira são mais comuns do que deveriam, porém, podem e devem ser combatidos.

Alguns passos enfrentam de forma simples e eficaz os principais desafios da indústria.

O primeiro passo é conectar-se com o parceiro certo, um fornecedor capaz de disponibilizar uma instrumentação precisa, duradoura e confiável.

O segundo passo é analisar se o potencial fornecedor possui a infraestrutura e a capacidade de oferecer todo o suporte ao longo do ciclo de vida do equipamento. Não se trata apenas em vender o produto no momento inicial, mas todo o atendimento e suporte que você precisa para solucionar o seu problema.

Dado o grande impacto da medição de nível na performance da operação, o terceiro e último passo é uma análise periódica de possíveis novas tecnologias que possam elevar ainda mais a produtividade da operação.

Estes são os procedimentos fundamentais para qualquer instalação que queira permanecer competitiva no longo prazo deve ter em mente.

Cabe agora a você, instrumentador ou engenheiro, supervisor de manutenção ou automação, apresentar projetos ou propostas que venham de encontro aos desafios da indústria que desempenham suas respectivas funções.

Quer contar com a sua instrumentação com a LINCE no seu processo?

Guia Definitivo de Medição de Nível - Banner

Compartilhe

Cadastre-se para receber conteúdo em primeira mão.