A Automação Industrial vai substituir o trabalho humano?

Automóveis que não precisam de motoristas para se locomover (autônomos), encomendas sendo entregues por drones, robôs que realizam cirurgias… 

A indústria 4.0 segue sendo um marco na evolução e automação de processos, trazendo ganhos milionários para as empresas. 

Mas e o trabalhador? O que acontece com aqueles que, na indústria, realizavam tarefas onde os robôs passaram a executar? Os seus empregos estão em risco ou surge uma nova oportunidade de parceria entre trabalhador e máquina?

Neste post, trouxemos este debate sobre a Automação Industrial à tona e queremos que você pense conosco como os processos industriais se beneficiam com a automatização, além do novo papel que o trabalhador tem em todo esse sistema.

Qual o papel da Automação nas indústrias?

A palavra “automação” vem do latim “Automatus”, que significa “mover-se por si só”. Logo, o objetivo da automação industrial é fazer com que os mecanismos de uma máquina cuidem do seu próprio funcionamento, diminuindo ao máximo a intervenção do ser humano.

Além disso, desde os primórdios da revolução industrial, as máquinas têm (e continuam tendo) como propósito central melhorar processos. E a automação industrial existe para aperfeiçoar processos e reduzir custos, aumentando a repetibilidade de uma função e diminuindo a chance de ocorrer algum erro ao longo da produção.

A Automação Industrial é muito abrangente, abarcando desde portas eletrônicas e elevadores, até robótica em linhas de produção. Para que ela seja colocada em prática, os profissionais da área utilizam equipamentos que tem o objetivo de tornar processos de fabricação mais eficientes, gerando produtos com qualidade superior e com baixo custo ao mesmo tempo.

A Automação Industrial substitui o emprego do trabalhador?

A discussão ainda gera polêmica, uma vez que, enquanto muitos estão convictos de que substituir trabalhadores humanos por máquinas aumentará a taxa de desemprego, outros acreditam que a Automação Industrial tem o papel de gerar mais prosperidade e novas demandas.

O uso intenso da Automação pode gerar transtornos generalizados em diversos setores da indústria, podendo até mesmo impactar grandes economias. Além disso, os mais afetados serão os países em desenvolvimento, gerando o aumento da desigualdade social e global.

O risco que a Automação Industrial pode trazer para trabalhadores de países em desenvolvimento está estimado em 55% a 85%, de acordo com estudo feito em 2016 pela Martin School and Citi, da Universidade de Oxford. 

Além disso, grandes economias emergentes estão sob alto risco de serem afetadas pela Automação, inclusive a China (77%) e a Índia (69%), maior do que o risco médio (57%) dos países desenvolvidos da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Através de relatórios divulgados pelo Instituto Global McKinsey, denominado: “Dominando a Automação para um Futuro Viável”, que pode ser baixado aqui em inglês, revela que 49% das atividades atuais, tanto as industriais, quanto em outros setores, podem ser automatizadas com tecnologias já aplicadas.

Mas um dos autores do relatório traz um cenário imediato mais animador ao dizer que estas mudanças demorariam décadas para serem efetivadas. 

A Automação Industrial não tomaria os empregos das pessoas de forma súbita. Fatores como a economia, os mercados de trabalho, as regulações e os movimentos e atitudes sociais também deverão ser levados em conta para que não haja aumento no desemprego.

Além disso, existem trabalhadores que podem ser movidos de suas funções para, ao invés de realizar a atividade que a máquina está realizando atualmente, cuidaria da própria máquina, possuindo conhecimentos para reparos e manutenções dela.

Quais as vantagens de automatizar seus processos?

Automatizar seus processos significa ter uma produção mais eficiente, sem o fator “falha humana”, com mais ganhos e menos perdas. Existem até mesmo máquinas que aprendem com seus próprios erros e estão em constante evolução. É o que chamamos de machine learning.

A Automação Industrial também existe para garantir a segurança do trabalhador. Principalmente em linhas de montagens, já que não é de hoje que trabalhadores estão expostos a riscos, mesmo com a utilização de EPIs. 

Como um robô não precisa de pausas para descansar, não corre riscos de vida e consegue realizar tarefas ininterruptamente, até mesmo em feriados e finais de semana, é mais interessante para a empresa utilizá-lo. 

Ainda pensando na segurança do trabalhador, podemos falar da tecnologia vestível (wearable technology), que significa a incorporação de dispositivos eletrônicos com tecnologia avançada em roupas, calçados e acessórios. 

Podemos tomar como exemplo uma pessoa que fica exposta a altas temperaturas em uma indústria. Roupas com este tipo de tecnologia podem monitorar o estado fisiológico do trabalhador, indicando o momento em que ele precisa cessar a atividade.

O que fazer para que o desemprego em massa seja evitado no futuro?

A recomendação do Fórum Econômico Mundial é que os governos tenham foco imediato em desenvolver ações para que o desemprego em massa não ocorra.

Para cumprir as exigências de mercado, os governos e empresas do mundo todo precisarão mudar profundamente sua mentalidade no preparo do trabalhador para o mercado de trabalho. 

Mudanças em relação à educação, habilidades e emprego serão necessárias. O desenvolvimento de trabalhadores qualificados e a futura estratégia da força de trabalho precisarão ser colocados em destaque.

As carreiras que se destacarão, de acordo com o relatório, serão as que envolvam criatividade e relacionamento, funções que a inteligência artificial ainda não consegue reproduzir com precisão.

A consultoria Mckinsey também apontou em um de seus relatórios que, para cada posto de trabalho eliminado, 2,4 novos precisarão ser criados, principalmente em empresas que desenvolvem produtos ou serviços inovadores (conhecidas como startups), com potencial de rápido crescimento.

Segundo o relatório, entretanto, o cenário ainda não é o ideal, pois a maior parte das pessoas que verão seus empregos desaparecer, sendo substituídos por máquinas, ainda não possuem as habilidades e competências necessárias para estas novas carreiras. 

E você, o que acha? A Automação Industrial vai substituir o trabalho humano?

Este é um assunto bastante delicado, pois existem diversos pontos de vista, tanto do lado das empresas, que buscam se desenvolver e apresentar melhores resultados, quanto dos trabalhadores, que podem ver seus empregos desaparecerem.

Por isso, é essencial levantar diversos debates sobre o assunto, para que todos possam ser ouvidos e que as melhores soluções possam ser tomadas.

Não deixe de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos sobre o assunto!