Alarme Falso no processo industrial: não é só uma questão de segurança, é rasgar dinheiro

Você, que é responsável pela supervisão da Indústria em que trabalha, sabe como um alarme falso pode ser muito danoso e perigoso, certo?

O alarme falso pode ser causado por conta de uma Instrumentação de má qualidade ou de uma escolha incorreta da tecnologia de medição de nível do seu processo.

A falha de um medidor de nível em um processo pode ser catastrófica!

Escolha de equipamento fora da especificação ideal

Um exemplo de uma má seleção de material é a escolha de um medidor do tipo Garfo Vibratório para um tanque de grãos com diâmetros maiores que o vão do garfo do instrumento.

O Garfo Vibratório é um instrumento capaz de detectar materiais sólidos secos e sólidos em meio líquido.

Porém, quando esses sólidos em forma de grãos são maiores que o diâmetro do vão do garfo, podem ocorrer acúmulos, gerando “Erro Falso Positivo” e fazendo com que o alarme soe sem parar, como se houvesse produto, mas na verdade não há. O resultado é uma Medição ineficiente. 

Segurança do Trabalho e Impactos Ambientais

A Instrumentação Industrial também é feita por razões de segurança do trabalho e proteção do meio ambiente. Prevenir alarmes falsos, detectar vazamentos e transbordamentos, evitar incêndios, dentre outras ocorrências, é fundamental para a indústria.

Imagine o vazamento acidental de um tanque de ácido causado por uma medição imprecisa de um instrumento. Pode gerar gravíssimos acidentes de trabalho, ao cair sobre trabalhadores ou contaminar o lençol freático, caso atinja o solo.

E esse é só um exemplo. Assim como falamos de um incidente envolvendo ácido, poderíamos citar vários tipos de materiais comuns na indústria, como inflamáveis e reagentes diversos.

Além da maior responsabilidade que é com a vida humana, considere ainda ter que lidar com multas pesadas, indenizações e processos trabalhistas!

Má eficiência da produção

Um alarme falso ocasiona também a parada não programada da planta.

As paradas de planta não programadas são extremamente danosas aos processos de uma indústria, acarretando gargalos de produção.

Quando um processo é interrompido de forma brusca, significa que a produtividade está sendo comprometida e o fluxo da planta não rende tudo o que deveria.

Se pensarmos na Pirâmide de Automação, você pode estar gerando um custo enorme para o topo da Pirâmide que você não tem noção que vem da base dela.

A Pirâmide da Automação Industrial é um diagrama que representa, de forma hierárquica, os 5 diferentes níveis de controle e trabalho em Automação Industrial.

Não basta ter um bom produto final. Você sabe, e seus gestores cobram que a operação seja a mais eficiente e produtiva possível. Entenda de uma vez por todas então que os gastos da operação, evidentemente, são parte fundamental do resultado da empresa que você trabalha e por consequência do seu.

Não tem exceção! Todas as pessoas que se destacam em suas carreiras são aquelas que trazem ganhos expressivos de resultado para suas empresas. Logo, se você tem custos de produção mais elevados por conta da ineficiência causada pelas perdas na base da pirâmide, saiba que o seu resultado final será impactado por isso.

Outra consequência de produtividade e eficiências baixas são os inevitáveis cortes de pessoal e falta de possibilidade de acensão profissional na área.

Sabe aquela frequência de alarmes falsos causados por acumulo de material no seu sensor ou a espuma que incrusta na chave? E os transbordamentos que te tiram a paz e geram cobrança excessiva pelos seus gestores? Ou aquele medidor do silo de farelo de milho que você tem que fazer manutenção a cada quinze dias? Cada um desses problemas significam custos!

Além das paradas não programadas e o alarme falso gerado pelo medidor, a confiabilidade da Medição de Nível fica prejudicada gerando riscos de Não Conformidades.

Uma boa maneira de se investigar Não Conformidades na Instrumentação da sua indústria é através da técnica dos “Porquês”.

Talvez seja a ferramenta mais simples a ser usada!

Vamos ver como podemos usar esta análise dos “Porquês”

Vamos utilizar como exemplo a seleção do medidor do tipo Garfo Vibratório para a aplicação de medição de grãos que foi feita de maneira errada.

DEFINIÇÃO DO PROBLEMA: ALARME FALSO

  • Por quê? Medidor do tipo Garfo Vibratório
  • Por quê? Grãos Maiores que o vão do garfo Vibratório
  • Por quê? Seleção do medidor foi realizada de maneira equivocada

Descoberto como identificar a Não Conformidade na indústria, passamos para a próxima etapa.

Nesse caso, deve-se realizar uma ação corretiva para evitar que ocorra novamente.

Uma boa medida é a criação de uma folha de dados para seleção dos medidores com informações mais específicas da aplicação. Isso facilita bastante a comunicação do fabricante com o cliente e evita escolhas erradas.

Após a realização da análise da causa raiz e a descoberta da origem do problema é preciso tratar esta causa com algumas ações.

Mas, antes, precisamos entender que tipo de ação devemos tomar.

Medidas preventivas na Indústria

Prevenção: Realizar a troca do medidor por um outro capaz de medir o nível do tanque sem ocorrer alarmes falsos e parada na planta não programada.

Veja que com as perguntas dos “por quês” fica muito mais fácil descobrir o problema e a partir daí atacar a causa raiz.

Que tipo de ação devemos desempenhar: imediata, preventiva ou corretiva?

  • A ação imediata é a que menos traz resultados, pois é feita imediatamente após a não conformidade e não garante que o problema não irá acontecer de novo.
  • A ação preventiva é uma ação que existe para eliminar a causa de uma potencial conformidade, pode se dizer que é uma ação que é tomada pouco antes do problema acontecer.
  • A ação corretiva que foi citada na definição do problema, é bem parecida com a preventiva, porém, quando realizada, é sinal de que algum problema já ocorreu e provavelmente danos já ocorreram.

É muito importante realizar um acompanhamento de todas essas ações executadas, registrando as etapas e os resultados.

Os custos de uma não conformidade são as maiores dores de cabeça de uma má gestão de qualidade!

Os prejuízos envolvem parada de plantas, custo de retrabalho, perda de trabalho e credibilidade no mercado.

Trata-se de um custo adicional que ninguém quer ter. Portanto, deve-se buscar sempre a Melhoria Contínua.

Mas o que é Melhoria Contínua?

Melhoria Contínua é a busca ininterrupta do melhoramento do processo industrial e está ligada a algumas etapas, estratégias, investigações e metas pré-estabelecidas.

4 perguntas que devem ser respondidas antes de escolher o seu medidor de nível

  • Qual material vai ser medido?
  • Qual temperatura e Pressão da aplicação?
  • Qual a densidade ou granulometria do material?
  • Dentro do Tanque, tem agitação?

Citamos apenas quatro perguntas, mas você mesmo pode avaliar o seu processo e identificar outras questões que se adequem ao seu tipo de aplicação.

Estes questionamentos são importantíssimos para garantir uma qualidade do processo evitando gastos e retrabalhos.

E aí? Entendeu a importância de ficar atento diante da possibilidade de um alarme falso na sua indústria?
a vida dos técnicos e engenheiros sem alarme falso é muito melhor.

Você sabe dos desafios e problemas diários que enfrenta com a sua instrumentação.

E agora também já sabe como resolver isso!

Só depende de você! A otimização de custos em função da produtividade está fazendo todas as indústrias de pequeno, médio e grande porte aderirem aos instrumentos que utilizam tecnologias de Automação e Instrumentação Industrial em seus instrumentos.

Chegou o momento de dar um upgrade na operação em que você trabalha!

O próximo passo é buscar um fabricante que realmente esteja comprometido em ajudar vocês a enfrentarem o seu problemas com uma Instrumentação de má qualidade.

Assine a nossa newsletter e se torne um especialista no assunto!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas