Densímetro Radiométrico – Por que é importante ter um na sua indústria?

Trabalhar com Medidores Nucleares, como, por exemplo, o Densímetro Radiométrico, pode representar um certo receio por parte da sua chefia, que pode achar que terá altos gastos, além dos diversos medos (muitos deles infundados) de se trabalhar com fontes radioativas!

Mas estamos aqui para mostrar que não é bem assim!

Muitas pessoas acham que usar medidores nucleares acaba gerando riscos, como os de acidentes ou de contaminação, além, é claro, dos medos de ficar impotente ou estéril, de desenvolver câncer… Elas realmente acreditam nisso!

O medo vem da falta de conhecimento, então é perfeitamente normal que você tenha receio quando escuta algo relacionado à radiação.

É importante saber que nenhum medidor, seja ele nuclear ou não, é universal. Existem aplicações em que alguns medidores funcionarão e, em outras, não!

Nesse post, iremos falar do Densímetro Radiométrico, o que é, como funciona e as sua aplicações.

O que é e o que faz um Densímetro Radiométrico?

O Densímetro Radiométrico é um medidor que, utilizando a tecnologia da radiometria, mede a variação de radiação conforme o aumento ou diminuição da densidade de um determinado fluído dentro de uma tubulação, por exemplo.

Em quais aplicações o Densímetro Radiométrico poderia ser utilizado?

Ele trabalha com uma fonte emissora de radiação e um receptor dessa radiação para realizar a medição em diversas aplicações, como na indústria de minérios e na de papel e celulose, por exemplo

Na indústria de minérios, o Densímetro Radiométrico é usado para saber a densidade da polpa de minério que está passando pela tubulação.

A polpa de minério possui uma densidade ideal para que seja de qualidade, então é preciso verificar se não existe muita sujeira ou muita água.

É aí que o Densímetro Radiométrico entra!

Já na indústria de papel e celulose, o Densímetro Radiométrico é utilizado para medir a densidade do licor utilizado na produção. É importante realizar essa medição para que se saiba se, de acordo com a densidade, o licor está no ponto ideal para ser reutilizado ou precisa retornar para o ciclo de recuperação.

E compensa investir em um Densímetro Radiométrico?

Como foi dito antes, depende muito da aplicação em que ele será utilizado. O Densímetro Radiométrico não poderia, por exemplo, ser utilizado em uma tubulação muito pequena. O Coriolis ou o Garfo serviriam para a aplicação, no caso.

Mas, além disso, você deve estar pensando se compensa, tanto financeiramente quanto o tempo gasto, em investir em um Densímetro Radiométrico, certo?

É verdade que você não pode simplesmente comprar um equipamento nuclear e começar a usar sem maiores precauções.

É preciso cumprir uma série de exigências legais e fazer toda a regulamentação da planta junto à CNEN.

Porém, o uso de Medidores Nucleares tem qualidade e precisão extremas, mecanismos de altíssima segurança e alta durabilidade.

No caso do Densímetro Radiométrico, a vida útil da sua unidade eletrônica é muito longa, chegando aos 15 anos fácil, com a meia-vida da fonte radioativa chegando a 30 anos!

E aí? Entendeu para o que serve e como funciona um Densímetro Radiométrico?

Se você quer eficiência na sua medição, não pode ter medo de lidar com equipamentos nucleares! Temos um post somente sobre equipamentos nucleares, você pode conferir aqui!

Um ponto importante na hora de escolher o seu medidor nuclear, é importante escolher um fabricante que esteja ao seu lado e te dê suporte em todo o processo, desde a compra até depois da instalação do equipamento.

Compartilhe com todos os seus colegas que ainda têm receio de adotar Medidores Nucleares para que juntos possamos desenvolver nossos conhecimentos sobre esse tema.

Para que você possa conhecer mais sobre os cuidados de radioproteção envolvendo as atividades que utilizam fontes radioativas, indicamos o blog Radioproteção na Prática.

E se você quiser saber tudo sobre Medição de Nível, não perca esta postagem!

Não esqueça de assinar nossa newsletter e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas