EPI e EPC – qual é a diferença?

Você, que preza pela sua segurança e da equipe de profissionais, sabe que é uma proteção adequada é essencial para que acidentes de trabalho sejam evitados. Existem diversas ferramentas criadas para prevenir e diminuir os acidentes de trabalho e evitar as doenças ocupacionais. A implementação de EPIs e EPCs é uma delas. Mas você sabe a diferença entre EPI e EPC?

Para garantir a integridade física dos trabalhadores, existem duas categorias de equipamentos de proteção regulamentadas por normas do Ministério do Trabalho: os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e os EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva).

EPI – Equipamento de Proteção Individual

Você, que preza pela sua segurança e das pessoas que trabalham com você, sabe que é uma proteção adequada é essencial para que acidentes de trabalho sejam evitados. Existem diversas ferramentas criadas para prevenir e diminuir os acidentes de trabalho e evitar as doenças ocupacionais e a implementação de EPIs e EPCs é uma delas. Mas você sabe a diferença entre EPI e EPC?

A NR-06 estabelece que toda empresa é obrigada a fornecer gratuitamente o EPI completo aos seus trabalhadores.

O objetivo do EPI é garantir a saúde, a integridade física e a segurança do trabalhador. O EPI deve ser aprovado pelo órgão nacional competente e estar de acordo com o risco que o profissional se submete.

Além disso, o equipamento deve estar em perfeito estado de conservação e funcionamento. Parece algo básico, mas muitos técnicos de SSTMA (Saúde e Segurança do Trabalho e Meio Ambiente) não se atentam a isso.

O uso do EPI é obrigatório e fica a cargo do empregador orientar e treinar o funcionário para a conservação, armazenamento e uso correto do equipamento.

Exemplos de EPIs:

  • Proteção da cabeça: capacete de segurança, capuz;
  • Proteção dos olhos e face: óculos de proteção, máscaras;
  • Proteção auditiva: protetor auricular, abafadores de ruídos;
  • Proteção respiratória: respirador;
  • Proteção do tronco: coletes;
  • Proteção dos membros superiores: luvas de segurança, braçadeiras;
  • Proteção dos membros inferiores: calçados de segurança, calças.

EPC – Equipamento de Proteção Coletiva

Você, que preza pela sua segurança e das pessoas que trabalham com você, sabe que é uma proteção adequada é essencial para que acidentes de trabalho sejam evitados. Existem diversas ferramentas criadas para prevenir e diminuir os acidentes de trabalho e evitar as doenças ocupacionais e a implementação de EPIs e EPCs é uma delas. Mas você sabe a diferença entre EPI e EPC?

Os Equipamentos de Proteção Coletiva servem para proteger o meio ambiente de trabalho e são medidas de segurança adotadas para diminuir ou eliminar os riscos identificados pelo Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). É a NR-9 que estabelece o PPRA.

Exemplos de EPCs:

  • Placas de Sinalização;
  • Sensores de presença;
  • Cavaletes;
  • Fita de Sinalização;
  • Chuveiro Lava-Olhos;
  • Sistema de Ventilação e Exaustão;
  • Proteção contra ruídos e vibrações;
  • Sistema de Iluminação de Emergência.

É importante destacar que os EPIs não evitam acidentes, como acontece com os EPCs, eles apenas diminuem ou evitam lesões que podem decorrer de acidentes!

Quando implementar o EPC e EPI?

Quando o risco no meio ambiente de trabalho é identificado, o Engenheiro ou Técnico em Segurança do Trabalho deve agir para que esse risco seja controlado, reduzido ou eliminado. Então, uma série de medidas são adotadas.

A proteção coletiva é a primeira medida a ser tomada, com a implementação dos EPCs adequados para cada meio ambiente de trabalho. Quando as medidas de segurança não são capazes de proteger os trabalhadores dos riscos existentes, o EPI é implementado.

Cada atividade requer um EPI específico!

Os EPIs e os EPCs são extremamente importantes para garantir a saúde e segurança dos trabalhadores. Além da proteção ao trabalhador, esses equipamentos também contribuem para a redução ou eliminação dos gastos diretos e indiretos com consequências geradas por acidentes do trabalho.

É importante lembrar que após o fornecimento do EPI e do EPC pela empresa, a mesma deve orientar e fiscalizar a utilização correta dos equipamentos, garantindo a saúde e segurança de seus colaboradores.

Técnicos e Engenheiros de Segurança do Trabalho devem garantir que todas as Normas Regulamentadoras estejam funcionando de modo que não ocorram prejuízos, tanto psicológicos quanto materiais, aos trabalhadores.

A Segurança do Trabalho é fundamental para que não haja riscos no seu meio ambiente de trabalho!

Assine a nossa newsletter fique por dentro de outras dicas e novidades!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas
  • NR-6
  • NR-9