Espuma e Incrustação Podem Afetar a Medição de Nível Aumentar Seu Custo de Operação

Você que trabalha com Instrumentação Industrial, deve saber que existem diversos desafios da Medição de Nível e que, para cada processo, é preciso escolher um instrumento que tenha a melhor tecnologia para lidar com estes reveses, não é?

No post de hoje, falaremos de dois dos desafios mais comuns presentes na indústria: a espuma e a incrustação.

Continue lendo para saber mais!

Todo o procedimento de escolha do instrumento de Medição de Nível correto para o seu processo, não se baseia apenas na definição da tecnologia a ser usada.

É importante que as características de aplicação e necessidades de instalação sejam levadas em conta.

Deve-se avaliar não somente a capacidade de medição, mas também a resistência do instrumento diante dos desafios da Medição de Nível.

Como a espuma e a incrustação afetam a Medição de Nível?

Durantes os processos industriais, algumas intercorrências afetam a confiabilidade da Medição de Nível, tornando-se verdadeiros desafios.

A espuma é gerada em boa parte dos processos contínuos na indústria e, quando começa a afetar a medição de nível, ficando presa nos sensores dos instrumentos de Medição de Nível, se torna um desafio.

A incrustação é o produto acumulado em tanques de armazenamento e em instrumentos medidores de nível, que comprometem a eficiência dos equipamentos.

Para conseguir que o processo seja eficiente, é necessário que a Medição de Nível esteja calibrada e livre destes tipos de adversidades. Assim, a produção poderá ocorrer perfeitamente.

Estes obstáculos acabam gerando problemas na indústria, como paradas de planta não programadas, alarmes falsos e gastos desnecessários com manutenção emergencial.

Você que trabalha com Instrumentação Industrial, deve saber que existem diversos desafios da Medição de Nível e que, para cada processo, é preciso escolher um instrumento que tenha a melhor tecnologia para lidar com estes reveses, não é?

O que são paradas de planta não programadas?

Para que ocorram manutenções preventivas no maquinário, são comuns paradas de planta programadas na indústria, afinal, é preciso que tudo funcione bem.

Já as paradas de planta não programadas, ocorrem quando é preciso interromper a produção fora do planejado, para que algum reparo ou manutenção seja feito.

As paradas de planta não programadas são consideradas “normais” para grande parte das indústrias. Um exemplo do que pode causá-las é a má qualidade e o mau funcionamento dos instrumentos de Medição de Nível escolhidos.

Além das paradas de planta não programadas e o alarme falso gerado pelo Medidor de Nível, a confiabilidade dos resultados fica prejudicada, gerando riscos de não conformidades.

E qual é a melhor tecnologia para lidar com esses desafios da Medição de Nível?

Como já dissemos diversas vezes aqui no blog:

Não existe tecnologia universal que possa atender a todos os processos da Medição de Nível!

E respondendo à pergunta, podem ser utilizadas tanto Chaves de Nível quanto Transmissores de Nível.

É necessária uma análise de todo o processo para descobrir de que forma os desafios estão afetando a produção.

Exemplos de processos afetados pela espuma e a incrustação

Espuma e a Medição de Nível

Na indústria de Mineração, a espuma acaba sendo gerada devido à forte agitação em alguns processos.

E alguns medidores de nível existentes no mercado não são capazes de realizar a medição do produto com precisão.

Além disso, em processos ao ar livre, instrumentos como o radar e o ultrassom sofrem interferências do clima.

Transmissores de nível com a tecnologia RF-Admitância são totalmente imunes a espuma. Ao contrário do que acontece com tecnologias como radar, laser e ultrassom, a Medição de Nível não é afetada por elementos que fiquem entre o transmissor e o receptor do instrumento.

Desta forma, a precisão nas medições de nível aumenta, evitando problemas como a cavitação de bombas, e as paradas de planta não programadas caem drasticamente.

Você que trabalha com Instrumentação Industrial, deve saber que existem diversos desafios da Medição de Nível e que, para cada processo, é preciso escolher um instrumento que tenha a melhor tecnologia para lidar com estes reveses, não é?

Incrustação e a Medição de Nível

Nos silos de Carvão Mineral, o abastecimento da matéria-prima ocorre através de um Carro Tripper.

Devido à queda violenta de produto causada pelos braços do Carro Tripper, ocorre o surgimento de muito pó em suspensão.

Isso gera incrustação e, consequentemente, a imprecisão na Medição de Nível Contínuo do radar de onda guiada, instrumento de Medição de Nível muito utilizado por algumas indústrias.

Em todo o processo em que a Medição de Nível contínua ocorre, é fundamental que haja uma Chave de Nível instalada junto, como redundância, caso o Transmissor de Nível apresente falhas na medição.

Neste exemplo, caberia a aplicação de uma Chave de Nível Flexível com capacidade de ignorar completamente o pó em suspensão e a incrustação, utilizando a tecnologia RF-Admitância também.

Você que trabalha com Instrumentação Industrial, deve saber que existem diversos desafios da Medição de Nível e que, para cada processo, é preciso escolher um instrumento que tenha a melhor tecnologia para lidar com estes reveses, não é?

Qual a solução para estes desafios da Medição de Nível?

Como dissemos neste post e em diversos outros: não existe instrumento de medição que seja universal e funcione para todos os processos.

É preciso que eles sejam analisados para que a solução ideal seja encontrada. A escolha de fornecedores e fabricantes com experiência faz toda a diferença!

Com essa precisão na medição, alarmes falsos não serão gerados e, consequentemente, o número de paradas de planta será reduzido drasticamente!

A otimização de custos em função da produtividade está fazendo todas as indústrias de pequeno, médio e grande porte aderirem aos instrumentos que utilizam tecnologias de Automação e Instrumentação Industrial em seus equipamentos.

Chegou o momento de dar um upgrade na operação em que você trabalha. Converse com o seu superior e contribua dando um basta nas cobranças em relação a produtividade da sua planta.

O próximo passo é buscar um fabricante que esteja comprometido em ajudar a enfrentar problemas com uma Instrumentação de má qualidade.

Assine a nossa newsletter e se torne um especialista no assunto!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas