Espuma e temperatura: os grandes desafios dos processos industriais

Você que trabalha com Instrumentação Industrial, deve saber que os processos industriais contam com diversos desafios de medição, que podem atrapalhar os resultados e gerar problemas futuros na empresa. 

Mas será que você está mesmo preparado para lidar com eles?

No post de hoje, falaremos dos 2 desafios mais comuns presentes em diversos setores da indústria: a espuma e a temperatura. Continue lendo para saber como superar tais desafios!

O que são os desafios da Medição de Nível?

Durantes os processos industriais, existem algumas intercorrências que afetam a confiabilidade e a precisão da medição: é o que chamamos de desafios da Medição de Nível.

Intitulamos de desafios e não de problemas, porque são gerados naturalmente durante os processos e não podem ser evitados. O papel da Instrumentação Industrial é elaborar soluções que possam “vencer” os desafios e gerar resultados de medição precisos.

O que levar em consideração na escolha do instrumento de Medição de Nível?

Todo procedimento para escolher o instrumento de Medição de Nível correto para o seu processo industrial não se baseia apenas na definição da tecnologia que será empregada, é importante que as características de aplicação e necessidades de instalação também sejam levadas em conta.

É imprescindível avaliar não somente a capacidade de medição, mas também a resistência do instrumento diante dos desafios da Medição de Nível.

Espuma e temperatura – dois grandes desafios para a indústria

A espuma é produzida em boa parte dos processos contínuos, por meio da agitação dos produtos ou da reação entre produtos diferentes. 

Quando a espuma acaba incrustando nos instrumentos de Medição de Nível, gera problemas ao processo, pois impede o controle de nível preciso do produto, tornando-o instável e impossibilitando-o de indicar a medição correta. 

Assim, podem ocorrer transbordamentos ou a falta de produto no local de armazenamento.

Já a alta temperatura é um desafio presente em ambientes adversos. Se o instrumento de Medição de Nível escolhido não estiver preparado para realizar as medições nestes tipos de ambientes, como em caldeiras ou fornos de minérios, por exemplo, e não forem resistentes às altas temperaturas, os resultados irão apresentar um nível baixo de confiabilidade, comprometendo o processo. 

A temperatura, junto ao poder corrosivo do fluido a ser medido, são fatores determinantes para a escolha do material adequado do instrumento de Medição de Nível.

Exemplos de processos afetados pela espuma e a temperatura 

Para que você possa entender como um processo é afetado pela espuma e pelas altas temperaturas, separamos exemplos dos dois casos. Confira a seguir!

Espuma

Na indústria de mineração, devido à forte agitação que gera espuma em alguns processos e à densidade do material, alguns medidores de nível existentes no mercado não são capazes de realizar a medição com precisão. 

Além disso, o processo se localiza ao ar livre e, por isso, tecnologias como o radar e ultrassom sofrem interferências climáticas, fornecendo medições com grandes taxas de erros.

Como solucionar os problemas de Medição de Nível gerados pela espuma?

Transmissores de nível com a tecnologia RF-admitância são totalmente imunes às interferências no ambiente de medição, como poeira, agitação de polpa, espuma e umidade. 

Ao contrário do que acontece com tecnologias como radar, laser e ultrassom, a medição não é afetada por elementos que se interponha no transmissor e receptor, e o risco de desvios no sinal de medição é totalmente eliminado.

Como consequência, a precisão nas Medições de Nível nos tanques aumenta, a proteção contra cavitação da bomba é garantida, as paradas de planta não programadas terão uma redução drástica e não haverá perdas geradas por transbordamentos.

medição de nivel tanques antes e depois

Temperatura

Em diversas etapas da produção do cimento, as matérias primas e aditivos são aquecidos em processos de mistura ou como forma de garantir que os produtos estejam desidratados, com temperaturas que variam de 80ºC a 600ºC. 

Em alguns desses processos, essas matérias chegam aos silos de armazenagem ainda quentes, podendo causar problemas aos medidores de nível comuns.

Como solucionar os problemas de Medição de Nível gerados pelas altas temperaturas?

Para as aplicações nos silos de clínquer, após o alto forno, é recomendada a escolha de um elemento sensor para alta temperatura e baixa pressão, projetado para a medição de sólidos leves. É ideal para qualquer processo de calcinação, filtros e precipitadores.

Para os silos de farinha de cru, é recomendada uma solução de nível com alarmes de níveis altos e baixos, ideal para recipientes de baixa pressão e temperatura moderada, suportando temperaturas até 150ºC

Para os silos de aditivos, é recomendado um elemento sensor para temperaturas moderadas e alta pressão, projetado para medição em reatores e vasos pressurizados.

A escolha dos instrumentos certos, como os que contam com a RF-Admitância, garante a precisão nas medições de nível nos silos, a redução drástica no número de paradas de planta não programadas e a redução dos custos de manutenção.

instrumentos de medição

E qual a melhor tecnologia para lidar com esses desafios da Medição de Nível?

Como já dissemos diversas vezes aqui no blog: Não existe tecnologia universal que possa atender à todas as características de Medição de Nível! Existem diversos instrumentos de medição, como Chaves e Transmissores de Nível, por isso é necessário analisar o processo e o tipo de desafio que será enfrentado antes de escolher o ideal.

Para saber mais sobre as diversas tecnologias existentes para combater os desafios da Medição de Nível, você pode baixar o nosso ebook gratuito clicando na imagem.

ebook

Busque um fabricante que possa ajudar você a encontrar a solução ideal para o que precisa e possa desenvolver instrumentos personalizados para o seu processo.

Não deixe de assinar a nossa newsletter para se tornar especialista no assunto!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!