Fermentação Contínua ou por Batelada?

Você trabalha em indústrias que possuem processos de fermentação e está em dúvida se, entre a fermentação contínua ou por batelada, qual é mais eficiente? Então esse post é para você!

Como funciona o processo de fermentação?

Tomando como exemplo a indústria sucroalcooleira, o processo fermentativo é a Fermentação Alcoólica.

Esse processo acontece quando existe a transformação dos açúcares em etanol e dióxido de carbono, devido à produção de energia a partir das células de levedo para sua sobrevivência.

Como dito em nosso post sobre o papel da instrumentação no processo fermentativo da usina sucroalcooleira, “a Fermentação ocorre nas dornas de fermentação, que são tanques geralmente de aço carbono com capacidade variável de acordo com o volume de produção da usina. Estes, na maioria das vezes, são fechados para evitar a perda do álcool por arraste pelo CO₂”.

Conforme o tamanho e o processo da fábrica, podem ser feitas a fermentação contínua ou por batelada, que são processos diferentes e de vulnerabilidade variável em relação à contaminação por bactérias.

Fermentação Contínua: utiliza dornas de grandes dimensões com um processo ininterrupto, onde o mosto é misturado junto à levedura na primeira dorna e, em seguida, este mosto passará de uma dorna para outra até que sua concentração de açúcar esteja menor.

Fermentação por batelada: o mosto é introduzido nas dornas com microrganismos. Neste processo, nada é adicionado além de oxigênio em forma de ar. Ao final deste processo, deve-se lavar a dorna e esterilizá-la antes da próxima fermentação.

Exemplos de Fermentação Contínua ou por Batelada

Quais são as vantagens e desvantagens de escolher entre a fermentação contínua ou por batelada?

A diferença básica da fermentação por batelada para a contínua está no fato de que, quando a planta está operando de forma contínua, o nível de utilização dos equipamentos é total.

E o que isso quer dizer? Que não existem tempos mortos, fazendo com que o volume de fermentadores necessários e a área de troca térmica dos trocadores de calor utilizados para resfriá-los diminua.

Entretanto, os processos de fermentação contínua exigem um maior nível de automação e, apesar de a operação ser mais simples, exige mais cuidados, porque no processo contínuo, somente 15% do total de fermento em processos está sendo tratado nas dornas. Quando ele retorna para o primeiro fermentador, o encontra cheio.

Falando em contaminação, a fermentação por batelada está menos sujeita à ela e, quando isso ocorre, o tratamento do mosto é mais simples.

Já a fermentação contínua possui maior vulnerabilidade à contaminação e, consequentemente, seu tratamento requer alguns cuidados e tempo adicionais.

Problemas com a Medição de Nível nos processo de fermentação

Um dos grandes problemas de qualquer tipo de fermentação é a produção de espuma. Temos um post detalhado sobre o assunto e você pode conferir clicando aqui!

Os antiespumantes utilizados para este processo são muito caros e, quando usados de forma incorreta, afetam diretamente a qualidade de produção!

E isso acontece exatamente pela escolha errada de instrumentos de Medição de Nível pontual nas dornas de fermentação. A detecção do nível alto nas dornas de fermentação é importantíssima, uma vez que elas são totalmente fechadas.

A maioria das chaves tendem a não fornecer valores corretos após um tempo de uso exatamente pela incrustação gerada pela espuma no elemento sensor da chave.

O ideal para esse este processo é o uso de chaves que sejam imunes a esse tipo de incrustação, pois toda vez que a chave é alarmada, um sistema automático de pulverização de antiespumante é acionado.

É claro que os processos internos de melhorias precisam estar alinhados, desde o plantio até o produto final.

Preparamos um ebook completo para você entender quais são os principais desafios da medição de nível e como solucioná-los:

ebook

E aí? Esperamos que agora você saiba escolher entre a fermentação contínua ou por batelada!

É importante lembrar que não existe escolha certa ou errada, mas sim a que é mais benéfica para o seu processo!

Só depende de você! A otimização de custos em função da produtividade está fazendo todas as indústrias de pequeno, médio e grande porte aderirem aos instrumentos que utilizam tecnologias de Automação e Instrumentação Industrial em seus instrumentos.

Chegou o momento de dar um upgrade na operação em que você trabalha!

O próximo passo é buscar um fabricante que realmente esteja comprometido em ajudar vocês a enfrentarem o seu problemas com uma Instrumentação de má qualidade.

Assine a nossa newsletter e se torne um especialista no assunto!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES