Fontes Nucleares e o aumento das possibilidades do uso de Isótopos e Fontes

Quando falamos de Fontes Radioativas e Instrumentos Radiométricos, surgem diversos receios, seja pelo medo de utilizar tecnologia atômica em uma indústria ou pelo custo alto destes equipamentos.

Continue lendo o post e descubra que tudo não passa de mitos e entenda como as fontes radioativas podem atuar em seus processos.

Quais são os equipamentos que trabalham com Fontes Radioativas?

Podem ser Instrumentos de Medição, como as Chaves e Transmissores de Nível que utilizam a tecnologia Radiométrica e funcionam como qualquer outro tipo de instrumento para controle de nível.

O diferencial destes equipamentos é que são utilizadas fontes radioativas e emitidos raios gama para que a detecção de nível seja feita. Os equipamentos podem ser instalados fora dos reservatórios em que será feita a medição, evitando contato com o produto que estiver armazenado lá.

E qual a vantagem disso?

Como não há o contato com os produtos que estão dentro dos reservatórios, a Medição não será afetada por influências físico-químicas, como alta temperatura, pressão, espuma, incrustação e outros desafios presentes na Medição de Nível.

A utilização das fontes radioativas para medir o nível é muito recomendada não apenas para a Medição de Nível Contínuo e Pontual, mas também para medir a densidade em processos que envolvam sólidos e líquidos, além do fluxo de massa.

Medição de Nível Contínuo

A Medição de Nível Contínuo mede o nível do produto em tempo real no reservatório. Por exemplo, em diferentes equipamentos industriais, utiliza-se a Cal, com um controle adequado da Medição de Nível Contínuo, o consumo desta matéria prima poderá ser monitorado remotamente e em tempo real pelo fornecedor.

Assim, é possível enviar o produto para etapas seguintes do processo e recomeçar o abastecimento do reservatório assim que o nível ideal for atingido. 

Medição de Nível Pontual

A Medição de Nível Pontual indica se tem ou não nível em um reservatório. De forma simples, se o produto toca no sensor, tem nível, se não toca, não tem. 

Caso o medidor esteja dentro do reservatório, pode ser afetado por desafios, como a incrustação, que podem emitir falsos alarmes, sendo que ainda não há nível de produto.

Este tipo de medição tem o objetivo de garantir um melhor fluxo de matéria-prima para que sejam evitadas a cavitação de bombas, transbordamentos, paradas de planta não programadas, desperdícios de produtos e todos os problemas gerados por uma má medição.

Medição de Densidade

Equipamentos que utilizam fontes radioativas para a medição de nível, são os ideais para serem aplicados. Eles irão medir a variação da radiação de acordo com a diminuição ou o aumento da densidade do fluído dentro do reservatório.

Um tipo de equipamento a ser utilizado é o Densímetro Radiométrico, para saber a densidade da polpa de minério que está passando pela tubulação. A polpa de minério possui uma densidade ideal para que seja de qualidade, então, é preciso verificar se não existe muita sujeira ou muita água.

Com todo o fluxo de massa e a variação da densidade, é importante ter um controle bem preciso, sem que o equipamento sofra interferências. Por isso, os instrumentos radiométricos são a melhor escolha.

E trabalhar com Fontes Radioativas é seguro?

A maior dúvida em relação aos equipamentos radiométricos não diz respeito à sua confiabilidade de medição, mas sim, à sua segurança.

De fato, a radiação precisa ser tratada com cautela. Uma exposição à níveis excessivos podem causar danos celulares, e até a morte, mas são casos que, dificilmente acontecem.

E a legislação brasileira é bem rígida quando se trata do manuseio de fontes radioativas.

Se todas as normas da Radioproteção forem seguidas, você estará mais exposto à radiação quando voar de avião, do que trabalhando ao lado de equipamentos que possuam fontes radioativas.

Os equipamentos que utilizam fontes radioativas em suas operações são tão seguros quanto qualquer outro tipo de tecnologia, desde que todas as normas sejam seguidas.

Como funciona um Instrumento de Medição de Nível com Fontes Radioativas?

Até pouco tempo atrás, a emissão dos raios gama na indústria vinha do isótopo Césio-137 (Cs-137). Os instrumentos de Medição de Nível mais modernos já contam com, além do isótopo Césio-137, o Cobalto-60.

A Medição de Nível ou Densidade utilizando fontes radioativas, é aplicada em processos complexos onde instrumentos convencionais não são compatíveis com as características do processo. O sistema é composto por um detector pontual ou em haste e uma fonte radioativa, que é formada pelos isótopos citados acima.

Um detector de cintilação (cristal de cintilação + tubo fotomultiplicador) é utilizado para monitorar a radiação emitida pela fonte. Uma vez que a distância entre a fonte radioativa e o detector é fixa, a atenuação da radiação que chega ao detector é proporcional a variação de densidade, que, por sua vez, é proporcional à variação do nível do reservatório.

A blindagem de fontes dos instrumentos de Medição de Nível mais modernos é menor, resultando em custos mais baixos de aquisição e de transporte, tanto para a blindagem quanto para a própria fonte.

Os materiais usados para a blindagem de fontes destes instrumentos são variados, como o chumbo, o volfrâmio ou o aço inoxidável, por exemplo.

Vale lembrar que existe um campo de radiação fraco em torno da fonte, porém, essa exposição à radiação é mínima. É menor do que a radiação que somos expostos quando usamos os nossos celulares.

Usar ou não usar Instrumentos com Fontes Radioativas?

As “desvantagens” do uso de instrumentos de Medição de Nível com fontes radioativas são as rigorosas leis das agências reguladoras. No Brasil, a CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear) estabelece normas e regulamentos em Radioproteção. 

Em outras palavras: você não pode simplesmente comprar um equipamento nuclear e começar a usar. Outro ponto que pode causar receio de investir em Medidores Nucleares é o custo, já que Instrumentos Radiométricos possuem um alto preço, por conta da tecnologia.

Entretanto, se o seu processo é crítico e só aceita este tipo de Medição, não adianta insistir no erro e nas perdas. Muitas vezes, investir mais no presente pode evitar muitas dores de cabeça no futuro.

Já as vantagens de se utilizar fontes radioativas na medição, é que os instrumentos não são afetados por desafios da Medição de Nível por não entrarem em contato com o produto presente no reservatório, como falamos anteriormente.

Além disso, a sua instalação, calibração e até mesmo a atualização de sistemas obsoletos podem ser feitos sem que haja nenhuma interferência ou parada no processo industrial e a unidade eletrônica pode durar muitos anos sem precisar ser substituída.

Por último, a Medição de Nível feita com fontes radioativas possui qualidade e precisão extremas, mecanismos de altíssima segurança, alta durabilidade e, seguindo um Plano de Radioproteção correto, os riscos são quase nulos.

Com fornecedor e suporte certos, utilizar instrumentos radiométricos traz segurança e produtividade para a sua operação!

Você, agora já sabe que é seguro utilizar fontes radioativas em seus processos, sabe dos cuidados que precisa ter e também já sabe como resolver isso.

Chegou o momento de dar um upgrade na operação em que você trabalha. Converse com o seu superior e ajude-o a dar um basta nas cobranças em relação a produtividade da sua planta.

O próximo passo é buscar um fabricante que realmente esteja comprometido em ajudá-lo a enfrentar o problema de Medição de Nível mais específico.

Não deixe de assinar a nossa newsletter e se tornar um especialista no assunto!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas