Por Que Realizar a Higienização e a Sanitização na Indústria Alimentícia?

Se você está inserido na indústria alimentícia, deve saber que, para qualquer tipo de processamento industrial que envolva alimentos, deve ter como requisito essencial a manutenção recorrente dos processos de higienização e sanitização para que a segurança dos alimentos seja garantida.

Mas você sabe os motivos pelos quais essa higienização é tão vital para o setor alimentício?

Continue lendo e saiba mais!

Qual a importância de manter um ambiente higienizado e sanitizado na indústria alimentícia?

Para que o produto final chegue ao consumidor de forma segura, sem que apresente riscos à sua saúde, é essencial que programas de sanitização e higienização industrial bem elaborados sejam adotados.

Assim, a sua empresa se livra de problemas que podem sujar a sua imagem, como recalls de produtos contaminados, por exemplo.

Quando as boas práticas de higienização e sanitização industrial são aplicadas, a carga de micróbios vindos de resíduos presentes em equipamentos, superfícies e ambientes será bem baixa, de modo que não haja a recontaminação tanto deles quanto dos produtos que irão chegar ao consumidor final.

Quais produtos são utilizados na indústria alimentícia para a higienização e sanitização?

No caso de uma simples limpeza ou de um processo de higienização, dependendo das necessidades que você tenha, podem ser usados desde técnicas mecânicas com água, vassouras e semelhantes até agentes químicos, como detergentes específicos.

Já na sanitização são utilizados desinfetantes ou sanitizadores específicos para realizar a descontaminação de agentes remanescentes que estão aderidos em superfícies.

Os dois processos são complementares, já que, para a sanitização poder ser bem feita, a higienização prévia é essencial!

Podem ser usados diversos químicos nestes dois processos, como tensoativos, polifosfatos, sequestrantes, agentes de suspensão, antiespumantes, abrasivos, ácidos, desinfetante e por aí vai. Tudo depende do tipo de limpeza que o seu processo demandará.

Se você está inserido na indústria, deve saber que, para qualquer tipo de processamento industrial que envolva alimentos, deve ter como requisito essencial a manutenção recorrente dos processos de higienização e sanitização para que a segurança dos alimentos seja garantida.

Poeira em silos e Atmosferas Explosivas

Na indústria alimentícia, é comum a presença de poeira de grãos na atmosfera do ambiente. E se ela não for eliminada, pode gerar uma Atmosfera Explosiva, o que é algo de extrema periculosidade.

Antes de entrar mais a fundo sobre ela, é preciso saber o que significa. Veja:

Área Classificada é o local onde uma Atmosfera Explosiva está ou pode estar presente, de modo que sejam necessárias precauções especiais para a construção, instalação e utilização de equipamentos apropriados.

Com o desenvolvimento de um estudo sobre classificação de áreas de uma indústria, é verifica-se a possibilidade de existência ou formação de uma Atmosfera Explosiva.

Para que uma área possa ser classificada como contendo uma Atmosfera Explosiva, é necessário determinar o grau de risco em função da fonte geradora, levando em consideração a frequência e duração da liberação da mistura no ar.

E o que é uma Atmosfera Explosiva?

Atmosfera Explosiva é a mistura de substâncias inflamáveis com o ar, em condições atmosféricas que podem surgir na forma de gases, vapores, névoas ou poeiras e que, em contato com alguma fonte de ignição, ocorre a combustão.

Resumindo: é uma área em que podem ocorrer explosões!

E para que ocorra uma explosão, é necessário a combinação de três elementos:

  • Fonte de ignição: faíscas elétricas ou temperaturas muito elevadas;
  • Comburente: neste caso, é o oxigênio (como o ar é composto por oxigênio, então este elemento está presente em toda parte);
  • Substância inflamável ou combustível: gás, vapor, poeira combustível e fibra combustível.

Em um ambiente industrial que possua Atmosfera Explosiva, existe, naturalmente, a presença dos comburentes e substâncias inflamáveis/combustíveis. Se uma simples faísca elétrica surgir, os três elementos reagem e acontece a explosão.

E é daí que surgiu a necessidade de criar normas e equipamentos específicos para que pessoas possam trabalhar nessas áreas perigosas.

Se você está inserido na indústria, deve saber que, para qualquer tipo de processamento industrial que envolva alimentos, deve ter como requisito essencial a manutenção recorrente dos processos de higienização e sanitização para que a segurança dos alimentos seja garantida.

Quais os riscos da presença de poeira em silos?

A poeira de grãos é formada por uma mistura de matérias orgânicas e inorgânicas. Apesar de qualquer poeira de grãos ser considerada perigosa, a do milho é considerada uma das mais perigosas, pelo fato de ser considerado um dos grãos mais voláteis que existem.

O acúmulo de poeira nos elevadores, pisos, paredes e equipamentos apresentam grandes riscos de incêndios, o que acontece só quando os grãos são aquecidos ao ponto de liberar gases combustíveis. Se houver a presença de alguma fonte de ignição no local, pode causar uma explosão e incêndios.

Uma explosão causada por poeira em silos pode gerar prejuízos irreversíveis ao patrimônio, como paradas de planta não programada e até perda de funcionários, seja pela morte ou por ficarem permanentemente incapazes de trabalhar após o acidente.

A Atmosfera Explosiva em silos, assim como as fontes de ignição presentes, deve ser controlada para que acidentes sejam evitados.

Esperamos que você tenha entendido a importância de manter um ambiente livre de riscos, tanto visíveis quanto invisíveis na indústria alimentícia!

As leis estão aí para serem seguidas à risca. Assim, você evita que acidentes de trabalho possam ocorrer, o que acarretaria em prejuízos humanos, materiais e ao meio ambiente.

A Segurança do Trabalho é fundamental para que não haja riscos no seu ambiente de trabalho!

Assine a nossa newsletter e fique por dentro de outras dicas e novidades!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas