Não Conformidade na Indústria, o que é isso?

Já ouviu falar em não conformidade na indústria?
Não?! Então vamos lá!

Todo Processo Industrial depende de vários fatores e obedece diversos padrões e normas técnicas. Você sabe disso! Com certeza a cobrança para que não ocorra uma não conformidade de um produto ou processo é severa sobre você.

Faz parte do dia a dia de qualquer instrumentista ou outro profissional de Instrumentação Industrial.

O grande problema é quando não há conformidade na sua produção!

Só você sabe o que é ter seguidos “problemas encontrados” na planta que você trabalha.

Dependendo da gravidade, seu emprego ou sua carreira podem estar em risco.

Vale a pena ler o texto que preparamos para você compreender um pouco mais sobre o tema e saber quais medidas deve tomar.

Neste artigo você vai encontrar

  • O que é Conformidade e Não Conformidade na Indústria
  • Medidas para evitar a Não Conformidade no seu Processo Industrial
  • Definição e importância da Melhoria Contínua para a Indústria

Nosso objetivo é falar sobre a Não conformidade na indústria, mas para isso precisamos de um pouco de contexto.

Por esta razão, precisamos abordar o assunto de maneira abrangente.

Primeiramente, vamos entender os conceitos de Conformidade e Não conformidade na Instrumentação Industrial.

Conformidade é a adequação de um produto ou processo avaliado através de medições, testes e auditorias, tendo como intuito atender determinado requisito técnico.

Todo processo na indústria está sujeito a não conformidade. Trata-se do oposto da conformidade.

Não conformidade significa o não atendimento a um requisito. Na maioria das vezes está ligada a processos que geram resultados fora do esperado, insatisfatórios.

A não conformidade pode não representar algo negativo dentro da empresa. Pontuamos isso porque é com alguns erros que ocorrem novos aprendizados. Através das lições assimiladas é que se gera um processo de Melhoria Contínua.

Saindo um pouco da indústria formal, podemos pegar um exemplo clássico: o acidente do ônibus espacial Challenger da NASA.

A nave explodiu por causa das peças O-rings (Juntas tóricas de borracha) que não funcionavam corretamente em baixas temperaturas. Por causa desta ocorrência, elas não formariam o lacre ideal no frio.

Isso foi descoberto em lançamentos anteriores, onde foi verificado que os O-rings ficavam danificados nos testes, mas não eram considerados o suficiente para causarem uma catástrofe. Por isso, essa não conformidade foi arquivada como “um risco de voo aceitável”.

No entanto, esse “pequeno problema” resultou em um prejuízo de sete mortos e aproximadamente US$ 4,5 Bilhões em valores atuais.

Após isso, a NASA foi obrigada a mudar sua cultura e buscar em todos os seus processos a melhoria contínua.

Uma não conformidade na indústria pode gerar grandes problemas!

Entendendo o que é uma Não conformidade na Instrumentação Industrial

Observamos muitos exemplos de não conformidade no dia a dia da Instrumentação Industrial.

Podemos verificar através da má seleção de um medidor de nível para uma aplicação não compatível com as especificações.

Na sua rotina de trabalho esse tipo de situação a seguir já pode ter acontecido.

Tem-se um medidor de nível do tipo ultrassom. Este instrumento foi selecionado para atuar em um tanque onde há muita espuma, bolhas, turbulências e alta temperatura, o que faz com que a medição não seja confiável.

O medidor ultrassom não consegue dar confiabilidade na medição pelo fato da espuma dificultar a absorção das ondas sonoras e a alta temperatura alterar a velocidade do som.

Para esta aplicação um medidor do tipo RF Admitância atenderia muito bem a todas as especificações citadas.

A RF Admitância é a melhor tecnologia para esse tipo de processo porque é imune a incrustações, espumas em superfície e resistente a altas temperaturas. O resultado é uma medição com alta confiabilidade, evitando paradas de planta e, consequentemente, evitando gastos extras com manutenção.

Outro exemplo de uma má seleção de material é a escolha de um medidor tipo chave garfo vibratório para medir um tanque de grãos com diâmetros maiores que o vão do garfo do instrumento.

O garfo vibratório é um instrumento capaz de detectar materiais sólidos secos e sólidos em meio líquido.

Porém, quando esses sólidos em forma de grãos são maiores que o diâmetro do vão do garfo podem ocasionar acúmulos, impedindo o acionamento do alarme e gerando o “Erro Falso Positivo”. O resultado é o transbordamento do tanque.

Sabemos que transbordamento é tudo o que você NÃO quer para a sua operação.

Para uma medição precisa, sem acúmulos e alarmes falsos, uma chave de nível pontual atende as especificações da aplicação.

Nesse caso a não conformidade seria evitada com simples questões feitas antes da seleção.

4 perguntas que devem ser respondidas antes de escolher o seu medidor de nível

  • Qual fluido vai ser medido?
  • Qual temperatura e Pressão da aplicação?
  • Qual a densidade do Fluido?
  • Dentro do Tanque, tem agitação?

Citamos apenas quatro perguntas, mas você mesmo pode avaliar o seu processo e identificar outras questões que se adequem ao seu tipo de aplicação.

Estes questionamentos são importantíssimos para garantir uma qualidade do processo evitando gastos e retrabalhos.

O trabalho na Indústria de Transformação não para, por isso a Melhoria contínua deve ser uma meta.

Mas o que é Melhoria Contínua?

Melhoria contínua é a busca ininterrupta do melhoramento do processo industrial e está ligada a algumas etapas, estratégias, investigações e metas pré-estabelecidas.

Para evitar que uma não conformidade ocorra, não basta eliminá-la.

Devemos descobrir a causa e corrigi–la, fazendo uma análise da causa raiz, que seria a investigação para desvendar a origem dela.

Esta investigação pode ser feita através de algumas ferramentas de análise de risco.

Uma boa maneira de se investigar não conformidades na instrumentação da sua indústria é através da técnica dos “Porquês”, talvez a ferramenta mais simples a ser usada.

Vamos ver como podemos usar esta análise dos “Porquês”

Vamos utilizar como exemplo a seleção do medidor do tipo garfo vibratório para a aplicação de medição de grãos que foi feita de maneira errada.

Definição do problema: Transbordamento do tanque

  • Por quê? Medidor tipo garfo vibratório
  • Por quê? Grãos Maiores que o vão do garfo Vibratório
  • Por quê? Seleção do medidor foi realizada de maneira equivocada
Vimos como identificar as não conformidades na indústria, agora passamos para a próxima etapa.

Medidas preventivas na Indústria

Prevenção: Realizar a troca do medidor por um outro capaz de medir o nível do tanque sem ocorrer transbordamento e parada na planta não programada.

Veja que com as perguntas dos “por quês” fica muito mais fácil descobrir o problema e a partir dai atacar a causa raiz.

Nesse caso deve se tomar uma ação corretiva para evitar com que isso ocorra novamente. Uma boa medida é a criação de uma folha de dados para seleção dos medidores com informações mais especificas da aplicação. Isso facilita bastante a comunicação do fabricante com o cliente e evita escolhas erradas.

Após a realização da análise da causa raiz e a descoberta da origem do problema é preciso tratar esta causa com algumas ações.

Mas, antes, precisamos entender que tipo de ação devemos tomar.

Que tipo de ação devemos desempenhar: imediata, preventiva ou corretiva?

A ação imediata é a que menos traz resultados, pois é feita imediatamente após a não conformidade e não garante que o problema não irá acontecer de novo.

A ação preventiva é uma ação que existe para eliminar a causa de uma potencial conformidade, pode se dizer que é uma ação que é tomada pouco antes do problema acontecer.

A ação corretiva que foi citada na definição do problema, é bem parecida com a preventiva, porém, quando realizada, é sinal de que algum problema já ocorreu e provavelmente danos já ocorreram.

É muito importante realizar um acompanhamento de todas essas ações executadas, registrando as etapas e os resultados.

Os custos de uma não conformidade são as maiores dores de uma má gestão de qualidade!

Dos exemplos citados de não conformidade, como a dos medidores que não apresentavam exatidão na medição, todas elas trouxeram prejuízos como parada de plantas, custo de retrabalho, perda de trabalho e credibilidade no mercado.

Trata-se de um custo adicional que ninguém quer ter. Portanto, deve-se buscar sempre a melhoria contínua.

Como resultado desta busca atingimos excelência na qualidade e, consequentemente, diminuímos ao máximo o custo de uma não conformidade.

Quando falamos em qualidade é muito importante dizer que…

Custa muito menos tratar essa dor do que tentar conviver com ela!

Para encerrar, vamos citar algumas regras de qualidade que com certeza vão te ajudar a evitar a não conformidade na indústria que você trabalha.

7 regras de qualidade que vão te ajudar a evitar a não conformidade

  • Tenha uma relação mutuamente benéfica com o fornecedor;
  • Tenha certeza que seus fornecedores estão preparados para entregar ótimos resultados;
  • Baseie-se em fatos na tomada de decisão;
  • Tenha certeza que seu cliente está apto a utilizar seu produto;
  • Envolva uma equipe para tomar decisões;
  • Tenha uma organização voltada para o cliente;
  • Entenda as necessidades dos seus clientes internos e externos e lute para superá-las.
Queremos ter ajudado você a entender mais sobre a Não Conformidade no contexto industrial!

Esperamos que a partir de agora você tenha segurança para tratar sobre a importância do instrumentação industrial para o setor.

Falamos sobre suas principais tarefas da instrumentação no dia a dia de uma indústria. Pontuamos que a escolha do instrumento mais adequado para a medição de nível é fundamental. Com o medidor de nível certo, você pode evitar a não conformidade e promover a melhoria continuada da planta onde trabalha.

Preparamos um eBook especial sobre isso. Além disso, temos uma postagem com tudo que você precisa saber sobre Medição de Nível.

Para finalizar, ainda indicamos a leitura de um texto sobre Automação Industrial, área que a instrumentação industrial desempenha função primordial, ocupando a base da Pirâmide.

Não esqueça de assinar nossa newsletter e ficar por dentro de todas as dicas que passamos para você ser um especialista em Instrumentação e Controle.

Obrigado pela leitura de todo esse material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas
  • SENAI. Automação: Fundamentos de Instrumentação
  • FRANCHI, C. L. Instrumentação de Processos Industriais: Princípios e Aplicações
  • SENAI. Programa de Certificação Pessoal de Instrumentação Básica