Confiabilidade no Processo Industrial – quem é o responsável

A eficiência dos processos que envolvem a indústria que você atua dependem da qualidade da instrumentação, da confiabilidade dos equipamentos e do suporte dos melhores fornecedores.

Nesse post iremos falar mais sobre a confiabilidade e os impactos que a falta dela pode ter no Processo Industrial.

Podemos definir Confiabilidade, de acordo com a NBR-5462, como a probabilidade em que, em um período de tempo determinado e com condições operacionais especificadas, um equipamento, sistema ou componente realizará sem falhas o que foi programado.

O termo é usado como medida de desempenho de confiabilidade.

Se você é um Técnico ou Supervisor de Manutenção ou Automação Industrial, sabe que a falta de um processo industrial confiável pode causar sérios danos ao trabalho.

No processo de Medição de Nível, por exemplo, algumas intercorrências afetam a medição confiável, tornando-se verdadeiros desafios, sendo os principais a incrustação, a espuma, o pó em suspensão e interfaces complexas.

A confiabilidade dos instrumentos é um dos fatores que afetam a produção e eficiência da planta em que você atua!

E quem é o responsável pela confiabilidade do processo industrial?

Como na maioria das organizações industriais não há a função de Engenheiro de Confiabilidade formalizada, a Manutenção Industrial acaba sendo “eleita” como responsável, já que é ela a responsável por cuidar dos equipamentos e mantê-los desempenhando as suas funções.

O que não é algo negativo!

Se observarmos a definição de confiabilidade, veremos que o papel da manutenção em relação à medição confiável dos equipamentos e instalações é importantíssimo!

Porém, ela não pode ser a única responsável, já que a confiabilidade abrange outros aspectos que a organização de manutenção não contempla, como, por exemplo, as condições de operação de um instrumento.

Confiabilidade

 

Mas então, quem deveria ser responsável?

A Engenharia de Automação e Instrumentação une os princípios da elétrica, mecânica, eletrônica, computação e os conhecimentos da engenharia de processos com o intuito de melhorar a confiabilidade, além da economia e a agilidade dos processos de um sistema.

Na prática, porém, a responsabilidade é de todos na organização, ou seja desde a engenharia de projetos, produção, suprimentos, recursos humanos, manutenção, entre outros.

Esperamos que a partir de agora você entenda a importância da confiabilidade e os impactos da falta dela nos processos industriais.

Trabalhar com uma empresa nacional, capaz de fornecer sistemas simples de operar, calibrar o instrumento recém adquirido através de softwares complexos em língua estrangeira, regular os parâmetros do fabricante para suas necessidades, além de priorizar fornecedores cuja plataforma de serviço lhe dê suporte rápido e contínuo, cria um alto grau de confiabilidade para a operação como um todo.

Se você quiser saber da importância de uma medição de nível confiável, preparamos um eBook especial com tudo sobre essa área da instrumentação..

Compartilhe com seus colegas que conhecem ou desconhecem totalmente o assunto e juntos desenvolvam ainda mais seus conhecimentos sobre instrumentação industrial.

Não esqueça de assinar nossa newsletter e ficar por dentro de todas as dicas que passamos para você ser um especialista em Instrumentação e Controle.

Obrigado pela leitura de todo esse material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas
  • NBR-5462 da ABNT