Sensor de Nível: por que escolher a eficiência e não o baixo custo para especificar projetos de terceiros

Os resultados da sua empresa ou de projeto de terceiros deve sempre ficar acima do esperado, certo? Se você é responsável por isso, deve saber que a eficiência é mais importante que o gasto com investimentos. Mas como especificar o melhor Sensor de Nível para algum processo?

Continue lendo o post e descubra!

Fique de olho na relação Custo e Benefício ao especificar o Sensor de Nível

Você com certeza já deve ter ouvido aquele ditado “o barato sai caro”, não é mesmo? E quando pensamos na especificação de um Sensor de Nível para algum processo, isso não é diferente.

É claro que todos querem economizar dinheiro e ao mesmo tempo garantir eficiência para os processos industriais. No caminho inverso, existem pessoas que escolhem o equipamento mais caro, acreditando que terá o melhor.

E essas duas formas de pensar nem sempre estão corretas!

Podemos tomar por exemplo dois Sensores de Nível que têm a mesma função, mas com princípios tecnológicos – e preços – diferentes.

O mais barato, que conta com partes móveis feitas de plástico, certamente funciona muito bem para medição de nível de água potável. Agora, experimente utilizá-lo na medição de nível de cal, por exemplo.

O Sensor de Nível até vai funcionar de início, mas com o aumento da coluna de cal, a flexão das partes plásticas começará a comprometer a precisão.

Além disso, esse esforço certamente irá danificá-lo rapidamente, resultando em um MTBF (Mean Time Between Failures) muito menor. Isso significa custos de manutenções frequentes, menor vida útil e necessidade de substituição rápida.

Por outro lado, um Sensor de Nível com outro princípio, sem partes móveis, com bitola adequada, imune a incrustação ou pó em suspensão, sem dúvida é excessivamente caro para medição de água potável.

Ele, porém, será perfeito para a medição da cal, uma vez que terá longa vida útil, medindo com precisão e sem necessitar de manutenções frequentes.

Se pensarmos na Pirâmide de Automação, você pode estar gerando um custo enorme para o topo da Pirâmide, sem perceber que ele vem da base dela.

E o que é a Pirâmide de Automação Industrial?

Os resultados da sua empresa ou de projeto de terceiros deve sempre ficar acima do esperado, certo? Se você é responsável por isso, deve saber que a eficiência é mais importante que o gasto com investimentos.  Mas como especificar o melhor Sensor de Nível para algum processo?

A Pirâmide de Automação Industrial é um diagrama que representa, de forma hierárquica, os 5 diferentes níveis de controle e trabalho em Automação Industrial.

A base é composta em sua maioria por dispositivos de campo. Encontramos neste nível os atuadores, sensores de nível, transmissores de nível e outros componentes presentes na planta de produção.

O topo da Pirâmide de Automação Industrial é responsável pela administração dos recursos da empresa. Neste nível, encontram-se softwares para gestão de venda, gestão financeira e BI (Business Intelligence) para ajudar na tomada de decisões que afetam a empresa como um todo.

Todas as decisões administrativas deste nível devem estar baseadas na avaliação de cada um dos demais níveis da pirâmide. Confira abaixo a Pirâmide da Automação Industrial, que representa de forma hierárquica, os níveis de controle e trabalho em Automação Industrial.

Danos a outros equipamentos e Não Conformidades gerados pela má escolha de um Sensor de Nível

Erros na escolha do Sensor de Nível também podem gerar danos a outros equipamentos envolvidos no processo. Um exemplo comum é o dano a uma Bomba de Poço, que entra em cavitação por falta de líquido, devido a uma falha na medição de nível.

Outro fator que pode ser uma grande dor de cabeça, é a Não Conformidade. Podemos pensar em alguns exemplos. Imagine um processo que requeira quantidades exatas de diferentes produtos em uma determinada fórmula.

Medições de Nível incorretas podem inserir quantidades não solicitadas, resultando em um produto fora das especificações e gerando perda de matéria prima.

Todas essas falhas acabam gerando paradas não programadas na planta, que se traduzem em custos adicionais de manutenção corretiva. Gastos que ninguém quer!

Afinal, qual a solução ideal para especificar o Sensor de Nível?

Dizemos sempre que não existe instrumento de Medição de Nível que seja universal e funcione para todos os processos. É preciso que a empresa saiba das necessidades – e é aí que a escolha de fabricantes e fornecedores que tenham experiência no mercado e passem a confiança necessária entra – para que a solução ideal seja encontrada.

Mas também é importante lembrar que a eficiência do processo sempre deve ser priorizada. Quando você verificar que existe um Sensor de Nível mais barato, fique atento. O que você economiza agora pode ser gerar muitos gastos no futuro!

Entendeu a importância de priorizar a eficiência do processo ao invés dos custos?

Os resultados da sua empresa ou de projeto de terceiros deve sempre ficar acima do esperado, certo? Se você é responsável por isso, deve saber que a eficiência é mais importante que o gasto com investimentos.  Mas como especificar o melhor Sensor de Nível para algum processo?

A otimização de custos em função da produtividade está fazendo todas as indústrias de pequeno, médio e grande porte aderirem aos instrumentos que utilizam tecnologias de Automação e Instrumentação Industrial em seus instrumentos.

Chegou o momento de dar um upgrade na operação em que você trabalha. Converse com o seu superior e contribua dando um basta nas cobranças em relação a produtividade da sua planta.

O próximo passo é buscar um fabricante que realmente esteja comprometido em ajudá-los a enfrentar problemas com uma Instrumentação de má qualidade.

Assine a nossa newsletter e se torne um especialista no assunto!

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas