Transmissor de Nível: a melhor escolha para o seu processo?

Você está tendo problemas com algum processo da sua indústria e não sabe como pode solucionar? Talvez esteja na hora de você investir em um Transmissor de Nível para o seu processo! 

O que é um Transmissor de Nível?

O Transmissor de Nível serve para  a medição contínua e o controle de silos e tanques para que você saiba em tempo real quanto produto tem neles e é considerada uma das atividades de maior importância se você trabalha com Instrumentação Industrial!

Muitas empresas – inclusive algumas com bastante tempo no mercado -, por acharem que estão há tanto tempo no mercado ganhando dinheiro, ainda seguem realizando as medições no “olhometro”.

Realizar medições no "olhômetro" podem não ser a melhor solução;

Só que, mesmo elas não tendo prejuízos financeiros, existem danos na produção, como erros de cálculo de volume, o controle de estoque de materiais, a capacidade de produção…

Tudo isso por conta da falta de uma medição em tempo real!

É claro que, em alguns casos, o próprio processo da empresa não pede um Transmissor de Nível, já que ela consegue lidar com os obstáculos, como compensar a falta ou excesso do produto em um estágio futuro.

Mas a empresa não poderia ter processos mais eficientes em todas as etapas, mesmo achando que tudo está bem? 

Com certeza!

Qual a vantagem de ter um Transmissor de Nível em seus processos?

Um Transmissor de Nível garante que a medição seja feita de forma mais precisa, não havendo desperdício de dinheiro, de produtos e de tempo.

O que acontece é que empresas criaram metodologias para “sanar” os problemas e manter a produção, sem notar as perdas significativas que um processo ineficiente está gerando.

Mas se houvesse a utilização de Transmissores de Nível, o trabalho da pessoa responsável pela manutenção ou do Técnico Instrumentista seria menor, o custo de produtos usados no processo seria o correto e o acabamento do produto final ocorreria sem desperdícios desnecessários.

A gente entende que algumas empresas têm a vontade de investir em Transmissores de Nível e não têm muita verba para isso!

Mas você já parou para pensar que os gastos desnecessários que você está tendo enquanto trata dos seus processos no “olhômetro” não seriam cobertos, ao passar do tempo, com o investimento em um Transmissor de Nível que aumentasse a eficiência e a precisão do seu processo?

Uma Transmissão de Nível bem feita traz eficiência não só para o processo, mas para diversas as áreas da sua empresa, como o Setor de Suprimentos, que pode planejar a compra de nova matéria prima ou um produto que se esgotou.

Uma Transmissão de Nível bem feita traz eficiência não só para o processo, mas para diversas as áreas da sua empresa, como o Setor de Suprimentos, que pode planejar a compra de nova matéria prima ou um produto que se esgotou.

O controle de nível feito corretamente ao longo de um processo industrial faz uma grande diferença na produtividade de uma planta.

Ter um Transmissor de Nível confiável traz diversos benefícios como segurança operacional, eficiência de processo, redução de perdas, dentre outros.

Para garantir todos esses benefícios gerados pelo controle de processo ideal é necessário conhecer os tipos de tecnologia existentes no mercado e suas principais características.

Existem diversas tecnologias para a Transmissão de Nível, como o Ultrassom, o Radar de Onda Guiada, a RF Admitância… Cada uma delas tem suas qualidades e defeitos.

São muitas tecnologias, né? E ainda existem processos que necessitam de mais de uma!

E como é que você lida com situações assim?

Nesse caso, sugerimos você a manter a padronização da planta. Isso garante a uniformidade e especialização dos operadores, além reduzir a quantidade de sobressalentes em caso de possíveis danos.

Além disso, a seleção do Transmissor de Nível correto é baseada não somente na escolha da tecnologia de medição, mas também nas características de aplicação e nas necessidades de instalação.

Não existe tecnologia universal que possa atender todas as características de Medição de Nível!

Deve-se avaliar não somente a capacidade de medição, mas também a resistência do instrumento em uma determinada condição.

Mas e na prática? Como um Transmissor de Nível poder o melhor para o seu processo?

Vamos tomar como exemplo um tanque que faz parte de um determinado processo e, em algum momento, ele recebe um ácido, que, após algumas transformações, segue o caminho para o restante do processo.

Coloca-se, então, nesse tanque uma janela de inspeção de vidro e, quando o tanque enche e o ácido chega a determinado nível nesse tubo, alguém que está cuidando do processo no “olhômetro”, avisa para pararem de mandar mais ácido.

Se essa pessoa estiver distraída ou não estiver presente, o ácido volta para a parte anterior do processo, onde reagentes e outros tipos de produtos químicos são jogados no ácido novamente, ocorrendo desperdício de produtos.

A empresa teria problemas com perda de eficiência da planta, uma vez que o trabalho seria feito no “olhômetro”, sem certezas, teria mais gastos HxH e também gastaria com insumos, uma vez que, cada vez que o ácido volta, esses insumos são despejados nele novamente.

Nesse caso, a utilização de um Transmissor de Nível Contínuo Radiométrico seria uma opção a ser implementada. Quando o ácido chegasse a um nível especificado, automaticamente seria cortado o fluxo do ácido para o tanque no momento certo.

 Exemplo de um processo sem um transmissor de nível e com ele.

Esperamos ter ajudado você a entender um pouco mais sobre Transmissores de Nível!

É importante lembrar que a Transmissão de Nível é um processo fundamental na Instrumentação Industrial e está no cotidiano do instrumentista!

Além desse material, temos uma postagem com tudo que você precisa saber sobre Medição de Nível.

Não esqueça de assinar nossa newsletter e ficar por dentro de todas as dicas que passamos para você ser um especialista em Instrumentação e Controle.

Obrigado pela leitura do nosso material e até a próxima!

FONTES

  • Mais de 35 anos de experiência em automação e controle de processos.
  • Mais de 13 mil horas de engenharia de aplicação on-site
  • Mais de 5000 soluções de instrumentação desenvolvidas